domingo, 18 de maio de 2008

Nunca Deixe de Ver


Importantes gotas escorriam

Formavam minúsculos cursos de água

Molhavam pés

Molhavam folhas

Molhavam as crianças na rua

Cursos dágua

Levavam e traziam

Alegrias e sofrimentos

Uma fria e gostosa harmonia

Lavava a Alma

Numa caminhada

Contra pingos diagonais

Retomava velhos sentimentos

Marginais a vida moderna

Não é preciso mais. . . .

Perder esse show rotineiro

Nem penso-lo

Nos últimos segundo de respiração

Para sempre viverei junto aos pingos

Na sua inexplicável lógica

Na sua perfeita simetria

E assim. . .

Morrendo e vivendo a cada dia

A chuva cresce em corpo e poesia...


Marmanillo 18/05/08

3 comentários:

carol disse...

bonitchinha!!!

continua assim meu amigo fazedor de versos!

NENA disse...

A D O R E I
VC TEM TALENTO E SABE DISSO!
BSOS

Danielson disse...

Oi Jesus!!!
Aqui é o Danielson de Recife e gostei do seu blog! Fiquei feliz por ver q vc foi influenciado por Chico Science, um mito em minha terra. Fica bem cara e me adiciona no orkut. è só procurar Danielson Andrade por lá!!
Abraços e fica com a tua graça!! rsrrsrsrrs