quinta-feira, 19 de agosto de 2010

INSTITUIÇÕES SOCIAIS

CONCEITO - uma estrutura relativamente permanente de padrões, papéis e relações que os indivíduos realizam segundo determinadas formas sancionadas e unificadas, com o objetivo de satisfazer necessidades sociais básicas
Conjunto de regras e procedimentos padronizados socialmente, reconhecidos, aceitos e sancionados pela sociedade e que têm grande valor social é denominado instituição sociais

CARACTERÍSTICAS:

Finalidade- Satisfação das necessidades sociais

Conteúdo relativamente permanente- padrões, papeis e relações entre indivíduos da mesma cultura

São estruturadas: Coesão entre os componentes, combinações estruturais de padrões de comportamento

São unificadas: cada instituição funciona como uma unidade

Possuem valores: códigos de condutas

Interdependência: As instituições necessitam são interdependentes, necessitam de outras para ter existência


DIFERENÇA ENTRE GRUPO E INSTITUIÇÃO SOCIAL

Apesar desses conceitos serem interdependentes, grupo e instituição social são duas realidades distintas. Os grupos sociais se referem a indivíduos com objetivos comuns, envolvidos num processo de interação mais ou menos contínuo. Por outro lado, as instituições sociais se referem a regras e procedimentos dos diversos grupos.

Por exemplo: o pai, a mãe e os filhos formam um grupo primário; as regras e os procedimentos que regulamentam essa relação fazem parte da instituição familiar.


Interdependência entre as instituições


Vamos buscar o caso da escravidão no Brasil. A escravidão mostrou-se como uma instituição que existiu no Brasil até 1888. Com a mudança da lei, ocorreu uma modificação básica na instituição econômica do país: os trabalhadores passaram a receber salário pelo trabalho realizado a um empregador. A instituição familiar, a religiosa e a educativa sofreram influências do processo e necessitaram reorganizar seu sistema de status, seus padrões de comportamento e suas normas jurídicas em relação aos negros. Uma instituição não existe isolada das outras. Todas possuem uma interpendência, de forma que, uma modificação em determinada instituição pode acarretar mudanças maiores ou menores em outras.





EXEMPLOS DE INSTITUIÇÕES


1 ESTADO MODERNO

Conceito - É um agrupamento de dominação que apresenta caráter institucional e que procurou- com êxito monopolizar, nos limites de um território, a violência física legítima como instrumento de domínio e que, tendo esse objetivo, reuniu nas mãos dos dirigentes, os meios materiais de gestão. (Weber, 2004. P.525)

Explicação

“O estado moderno do ponto de vista sociológico, é uma “empresa”, do mesmo modo que uma fábrica: precisamente esta é sua qualidade historicamente específica.” (Weber,2004, P.530)

“contra os estamentos, o príncipe apoiava-se em camadas politicamente utilizáveis sem caráter estamental.” (p.532)

“O desenvolvimento da política, no sentido de uma empresa, que exigia um treinamento para a luta pelo poder e nos métodos desta luta, tais como foram desenvolvidos pelo moderno sistema de partidos, condicionava a divisão dos funcionários públicos em duas categorias perceptivelmente ainda que não rigorosamente distintas: os funcionários públicos especializados, por um lado, e por outro, os funcionários políticos” (Weber,2004,p.538)


CARACTERÍSTICAS DO ESTADO MODERNO ( elementos permanentes)

  • Quadro administrativo burocrático
  • Monopólio organizado de um sistema monetário
  • Dominação legal ou racional
  • Poder político centralizado
  • Princípio de hierarquia
  • Recrutamento de funcionários baseada na melhor qualificação
  • Princípio de universalidade
  • Unidade territorial
  • Governo
  • População


FUNÇÕES DO ESTADO

  • Promover condições de existência para outras instituições, tais como as econômicas, familiares, sociais etc.. Através da promoção de proteção, regulação e organização da vida política.
  • Garantir a Soberania, manter a Ordem e promover o bem - estar social ( wellfare states)


ESTADO, NAÇÃO E GOVERNO


Nação é um conjunto de pessoas ligadas entre si por vínculos permanentes de idiomas, religião, valores; é anterior ao Estado, podendo existir sem ele. Por outro lado o estado pode compreender varias nações como é o caso do Reino Unido ( formado por Escócia, Irlanda do Norte, Pais de Gales e Inglaterra)O estado é, portanto, uma nação com um governo.

O Estado é diferente de governo. O estado é uma instituição social permanente; governo é um elemento transitório do Estado. Assim pode-se dizer que o governo muda e o Estado continua. (Santos,p.175).

FORMAS DE GOVERNO

A rigor, há duas formas de governo: Monarquia e República. Mas as modalidades de organização do poder político variam de acordo com os sistemas culturais em que se encontram:

Monarquia – Poder supremo investido numa única pessoa. O rei herda o poder até a morte

Oligarquia- Poder investido nas mãos de um grupo pequeno, pertencentes ao mesmo partido, classe ou família. (Aristocracia na idade média e antiguidade clássica)

Gerontocracia – Poder investido na mão do mais idoso do grupo. (algumas tribos)

República- quando o representante é escolhido pelo povo. Pode ser presidencialista (quando o chefe é o presidente) e parlamentarista (influência maior do Parlamento)

Teocracia- Governo de Direção sobrenatural

Ditadura – governo concentrado nas mãos de uma única pessoa


TIPOS DE ESTADO


Totalitários – Quando há uma concentração excessiva de funções e poderes com forte intervenções do Estado nas relações sociais. Liberdade individual mínima e controle estatal máximo.

Liberais - quando a Interferência na vida social é mínima e a atuação supervisora é bem diminuída. Geralmente dão cartão verde para a economia.

Sociais- Democráticos - Encontram-se em posição intermediária em relação às duas situações anteriores

Neoliberais - Uma versão mais radicalizada do liberalismo que visa o estado mínimo e plena liberdade para a economia.


OS TRÊS PODERES DO ESTADO

Executivo – executar as leis ( presidente)

Legislativo – elabora as leis (parlamento)

Judiciário –fiscaliza (Tribunais superiores, regionais)

Obs- Nos estados totalitários os três tipos de poderes ficam concentrados nas mãos de uma só pessoa.


2 IGREJA


Difere-se das outras instituições, segundo a antropóloga Ruth Benedict, apresentando-se como uma instituição que não corresponde a nenhuma necessidade física das sociedades. Ao longo da História surgiram muitas formas de manifestação religiosa. Das religiões que surgiram muitas desapareceram e outras existem até hoje, congregando milhões de fiéis. A crença em algum tipo de divindade e o sentimento religioso são fenômenos generalizados em todas as sociedades. As três grandes religiões monoteístas são: islamismo, cristianismo e judaísmo.



3 FAMÍLIA

Um tipo de agrupamento social cuja estrutura varia no tempo e no espaço. Essa variação pode ser quanto ao número de casamentos, quanto à forma de casamento; ao tipo de família; aos papeis familiares


NÚMERO DE CASAMENTOS

Monogâmica- situação em que cada marido e cada mulher têm apenas um cônjuge, quer essa relação seja estabelecida por uma aliança indissolúvel ( até a morte ), quer se admita o divórcio ( como é o caso da nossa sociedade ). A lei brasileira permite um novo casamento após o término do casamento anterior.

Poligâmica situação em que cada esposo pode ter dois ou mais cônjuges. Ao casamento de uma mulher com dois ou mais homens dá-se o nome de poliandria. Esse tipo de família existe entre as tribos do Tibete e entre os esquimós. O casamento de um homem com várias mulheres chama-se poliginia. Exemplo : tribos africanas, mórmons e entre os povos que seguem a religião muçulmana.


FORMAS DE CASAMENTOS

Endogamia: casamento permitido dentro do mesmo grupo, da mesma tribo. Exemplo: sociedades primitivas, sistema de castas na Índia e algumas famílias do Nordeste brasileiro.

Exogamia: união com alguém de fora do grupo, religião, raça ou classe social diferente. Exemplo: sociedades modernas.


TIPOS DE FAMILIAS

Conjugal ou nuclear (grupo que reúne o marido, a mulher e os filhos )

Consangüínea ou extensa (reúne além do casal e os filhos, outros parentes, como avós, netos, genros, noras, primos e sobrinhos ).

QUANTO À AUTORIDADE FAMILIAR

Patriarcal – a figura central é o pai

Matriarcal- a figura central é a mãe

Partenal ou igualitária- onde autoridade pode ser mais equilibrada entre os conjugues



Exemplo de Instituição ineficiente.



fonte da imagem inicial: http://www.franciscanosmapi.org.br/index.php?page=ler&id=839





3 comentários:

Anônimo disse...

muito boa sua pesquisa ,continue assim ...
bjs
BY:Dayane Sayd

Anônimo disse...

achei legal mais faltou mais asunto sobre a IGREJA!!! em todos os sites em que eu visitei nunca tem muita coisa sobre a IGREJA!!! POR QUE???
a igreja n tem muita historia?

by:Any larissa

Anônimo disse...

me ajudou bastante
consegui fazer meu trabalho de religiao que é para hoje!!!!