sexta-feira, 9 de maio de 2008

Trabalho e Reestruturação Produtiva no Brasil ( Esquema da Aula)

1. Foco – Precarização do Trabalho (Espoliação e Exploração) -> Reestruturação produtiva e Estado Neoliberal.

Tipos de fonte e de pesquisa: pesquisa quantitativa (IBGE, DIEESE) e pesquisa bibliográfica.

Categorias e referencial teórico utilizado: Experiência vivida ( Regularidades, questões materiais) e Experiência percebida ( relatos de vida dos sujeitos) THOMPSON


2. Síndrome Objetiva da Insegurança de Classe

Contexto Neoliberal -> Insegurança de emprego, de representação, de contrato

Base Objetiva: Intensificação da Exploração, Desmonte de coletivos de trabalho e da resistência sindical

Marco Político: Derrota da frente popular Brasil, Reformas neoliberais da década de 1990 ( abertura comercial, juros elevados e recessão econômica)

Contexto econômico de 1990:

Fatores

Conseqüências

Aumento numérico dos sindicatos

Fragmentação sindical

Abertura comercial

Degradação do mercado de trabalho

Desemprego

Terceirização

3. Desmonte do Sindicalismo

1985 – 1990 – Ascensão do sindicalismo

1990 -> Desemprego -> dificuldade no movimento grevista-> dificuldade de greves gerais ->diminuição no número de greves.


Alteração significativa na morfologia das greves:

· Descentralização -> tendências neocorporativas

· Sindicatos das montadoras, sindicatos das autopeças, da forjaria e fundição, de maquina, laminação etc..

· Greve com aspecto defensivo (estimuladas pelo não cumprimento de direitos)

Motivos das greves:

· Usurpação dos direitos trabalhistas

· Usurpação do tempo de vida pelo tempo de trabalho

· Restrição do direito de associação

· Não cumprimento de direitos trabalhistas

4. A economia da sociabilidade Constrangida

· Brasil inserido subalternamente -> ditadura dos credores

· Abertura comercial

· Crises mundiais – crises locais

· Queda dos rendimentos médios

· Expansão dos contratos

Um comentário:

Nena disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.